24 de abr de 2013

As pedras




As pedras

Todo poeta conhece
a secura das pedras:
sangue frio veneno
concreto muralhas
presídios...
violência torpe
rochas pistolas
estampidos suicídios.

Todo poeta conhece
a crueza do sangue
pálido dos insensíveis...
e as pedras intactas
secas cruas
sem paixão.

Todo poeta percebe
as pedras cruas
e nuas das estradas:
cacetetes fuzis
tiros secos do gelo
das pedras esverdeadas...
as grades quartéis
calabouços overnights
cartéis...

todo poeta conhece
ai a secura das pedras.


Um comentário:

Mariseven Zanon disse...

" ai a secura das pedras". Esses seres humanos secos a nossa volta...