24 de out de 2009

Espelho

.

.
.
Espelho

.
Imagens distorcidas
.
rugas multiplicadas

luzes difusas

rostos disformes

olheiras improváveis

cicatrizes mais fundas

fragmentos

pequeno caos que se espraia.

Tudo parece conspirar:

o espelho da sala

precisa ser trocado

e com urgência.

.
.

Um comentário:

Tear de Sentidos disse...

Álvaro... Amoooo teus poemas...!
São lindos!!!!
Bj, Tê!